Instituto-Politecnico-do-Rio-de-Janeiro

O Instituto Politécnico do Rio de Janeiro foi criado pelo Decreto 13.937 de 24 de novembro de 1989, como órgão vinculado à Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro. Iniciou suas atividades em março de 1990 como uma instituição de pesquisa instalada em Nova Friburgo. A sua localização geográfica estratégica permitiu aliar os seus objetivos ao movimento de interiorização da economia no Estado do Rio de Janeiro.

Em 4 de maio de 1993, o IPRJ foi incorporado à Universidade do Estado do Rio de Janeiro, como Campus Regional - Instituto Politécnico, por intermédio do Decreto 18.641, passando a fazer parte do Programa de Interiorização da Universidade. O Ato Executivo número 14 de 01.06.94, da Reitoria da UERJ, regulamenta as atividades deste Campus Regional.

Quanto à extensão universitária, a Incubadora de Empresas de Base Tecnológica (IEBTec), pioneira no interior do Estado do Rio de Janeiro, iniciou suas atividades em 1995 em parceria com instituições como o SEBRAE, a FIRJAN, a Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo, a Prefeitura Municipal de Nova Friburgo, o CNPq e o Centro de Produção da UERJ (CEPUERJ).

Em agosto de 1995, iniciaram os cursos multidisciplinares de Mestrado e Doutorado em Modelagem Computacional. O programa foi recomendado pela Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) em maio de 1996. Atualmente, possui o conceito 5 na CAPES e o processo seletivo é feito através de Edital próprio elaborado pela Comissão de Pós-graduação do programa. A pós-graduação em Modelagem Computacional tem suporte financeiro da CAPES, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação Carlos Chagas de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ).

Em 23 de setembro de 1996, foi criado o Escritório de Transferência de Tecnologia que tem como objetivo criar mecanismos para intensificar a interação com a comunidade, sistematizando e aprimorando as suas ações, de forma a reduzir a distância existente entre a Universidade e o setor produtivo.

Em 28 de maio de 1997, através da Resolução número 004/97 do Conselho Universitário da UERJ, foi criado o Campus Regional Instituto Politécnico, vinculado à Coordenação dos Campi Regionais.

Ao final de 1998, foi realizado o workshop Planejamento Estratégico IEBTec 2000, o qual teve por objetivo balizar as ações que seriam realizadas ao longo do biênio 1999-2000, a fim de dotar a IEBTec de condições físicas, técnicas e gerenciais visando a torná-la um mecanismo eficaz no apoio à criação e desenvolvimento de um segmento econômico baseado em tecnologias inovadoras na região Centro-Norte Fluminense. Com base neste trabalho foi tomada a decisão de fundir as ações da IEBTec e do ETT, através da implantação do Núcleo de Desenvolvimento e Difusão Tecnológica (N2TEC), o qual tem como principal objetivo atuar com foco na difusão das tecnologias geradas em sua instituição-sede, a fim de contribuir para a modernização econômica e o desenvolvimento regional, através da agregação de empreendimentos capazes de cumprir esse papel, seja por meio da própria incubação ou através de processos associativos.

Em 1999 foi implantado o curso de graduação em Engenharia Mecânica, que conta atualmente com a entrada de 80 alunos por ano (40 no primeiro semestre e 40 no segundo). O processo de seleção é feito através do Vestibular da UERJ.

Em 24 de janeiro de 2002, através da Resolução 003/02 do Conselho Universitário da UERJ, foi criada a Unidade Acadêmica Instituto Politécnico com três departamentos: Modelagem Computacional (DMC), Engenharia Mecânica e Energia (DEMEC) e Materiais (DEMAT). Também em 2002 é criada a Serra Jr. Engenharia, Empresa Júnior do curso de graduação que gradativamente vem desenvolvendo projetos de consultoria para empresas da região.

Em 2006, foi recomendado pela CAPES o curso de pós-graduação stricto sensu, curso de mestrado, de Ciência e Tecnologia de Materiais do Instituto Politécnico. Este programa possui duas áreas de concentração: Materiais Não-Metálicos e Física e Mecânica de Materiais, e iniciou as suas atividades no primeiro semestre de 2007. O ingresso de novos alunos ocorre mediante a publicação de Edital próprio elaborado pela Comissão de Pós-graduação do Programa de Ciência e Tecnologia de Materiais.

Em 2007, foi aprovada a criação do curso de graduação em Engenharia de Computação do IPRJ. Este curso iniciou as suas atividades em março de 2008 e seleciona, através do Vestibular da UERJ, 40 alunos anualmente (uma única entrada).

Em janeiro de 2011, em consequência das fortes chuvas que atingiram Nova Friburgo, o Câmpus Regional Instituto Politécnico foi duramente atingido, tendo sido destruídas duas casas, o Laboratório de Polímeros e parcialmente o Laboratório de Ensaios Mecânicos e Metrologia (LEMEC). Além destas ocorrências, houve vários deslizamentos no interior do Câmpus e a rua que dá acesso ao IPRJ ficou obstruída em decorrência do deslizamento de vários trechos ao longa da mesma. Portanto, em função destes acontecimentos, o período letivo de 2011 só pôde ser iniciado em maio daquele ano, com a utilização de parte das instalações da Universidade Estácio em Nova Friburgo, alugadas pela UERJ. Enquanto isto, o Reitor da UERJ, com o apoio do Secretário de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro, assinou um contrato de locação com opção de compra de dois prédios de 3 andares do Complexo Industrial Triumph International - Filó S.A..

Em 2014, além dos dois prédios alugados foram adquiridos, com recurssos do governo do estado do Rio de Janeiro, outros dois prédios e o estacionamento da antiga área industrial. Atualmente, aguardamos a obtenção de recursos financeiros para que esses prédios possam ser adequados às necessidades específicas do Instituto Politécnico.

A Biblioteca do Instituto Politécnico, Prof. Paulo Jorge Paes Leme, cujo nome é em homenagem ao fundador do IPRJ, é integrante da Rede Sirius de Bibliotecas UERJ, onde é denominada como Biblioteca de Tecnologia e Ciências E - CTC/E. 

Como as demais bibliotecas da Rede Sirius, a Biblioteca tem como missão: 

"Atuar na promoção do acesso à informação e dar suporte as atividades de ensino pesquisa e extensão no âmbito da Universidade, contribuindo para o desenvolvimento cultural, econômico e social do Estado do Rio de Janeiro". 

O acervo é voltado para as áreas de Engenharia Mecânica e de Materiais, Engenharia de Computação, Matemática Aplicada e Modelagem Computacional. 

A Biblioteca é aberta ao público de 2ª a 6ª das 07 às 18 horas. Está localizada no 3º andar, sala 303, Bloco 1 do prédio principal do IPRJ/UERJ.

  

Links Externos

link Biblioteca CTC-E/IPRJ

link Rede Sirius

 

Redes Sociais

A Unidade Acadêmica Instituto Politécnico possui um diretor e um vice-diretor, ambos com mandato de quatro anos, escolhidos em eleição direta pelos docentes, técnico-administrativos e discentes, podendo ser reeleitos, que devem administrar, em conjunto com o Conselho Departamental, a Unidade Acadêmica.  

O atual diretor do Instituto Politécnico, mandato de 2016 a 2020, é o Professor Ricardo Carvalho de Barros:

Possui graduação em Física pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1981), mestrado em Engenharia Nuclear pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1985) e doutorado em Engenharia Nuclear - University of Michigan - Ann Arbor (1990). Teve sua tese de doutorado premiada nos EUA: "1991 Mark Mills Award" e é professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro desde 1994. É também professor colaborador do Instituto Superior de Tecnología y Ciencias Aplicadas (INSTEC) e membro do corpo editorial do periódico Qualis A1 Progress in Nuclear Energy (Elsevier). Tem interesse na área de Engenharia Nuclear, com ênfase em Física de Reatores Nucleares, atuando principalmente nos seguintes temas: transporte e difusão de nêutrons, métodos de ordenadas discretas, modelagem computacional de transporte clássico e não clássico de partículas neutras. É Cientista do Nosso Estado da FAPERJ, Pesquisador 1 do CNPq, Procientista desde a implantação do Programa na UERJ em 1996 e Coordenador de Projeto Institucional Capes Print de internacionalização do Programa de Pós-graduação em Modelagem Computacional do IPRJ com a Ohio State University.

Na sua ausência, o vice-diretor Helio Pedro Amaral Souto responde pela direção do IPRJ:

Graduado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal Fluminense (1983), Diplôme d'Etudes Approfondies (Engenharia Mecânica) - Institut National Polytechnique de Lorraine (1989), mestrado em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1987) e doutorado em Mécanique Et Energétique - Institut National Polytechnique de Lorraine (1993). Atualmente é Professor Titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Engenharia Mecânica, com ênfase em Fenômenos de Transporte, atuando principalmente nos seguintes temas: escoamentos multifásicos em meios porosos, transporte de contaminantes em meios porosos e método dos volumes finitos para leis de conservação. 

O Conselho Departamental é o órgão deliberativo máximo da Unidade Universitária, ressalvadas as atribuições da Congregação. Em conformidade com a Resolução 546/88 do Conselho Universitário, Compete ao Conselho Departamental:

  • Opinar, previamente, sobre lotação, remoção e afastamento de integrantes do Departamento;
  • Propor ao Conselho Departamental de sua Unidade a abertura de concursos para as diversas categorias docentes e a correspondente comissão examinadora: elaborar o respectivo programa com a fixação das disciplinas a serem abrangidas, organizar, divulgar e realizar os concursos autorizados, dando parecer sobre o resultado dos mesmos;
  • Dar parecer sobre seu desmembramento, fusão, incorporação ou qualquer outra forma de alteração;
  • Promover a integração do ensino, da pesquisa e da extensão relativamente às suas várias disciplinas , aprovando-lhes as ementas, os programas, números de créditos e pré-requisitos e co-requisitos;
  • Aprovar os currículos dos cursos sob sua coordenação, os projetos de pesquisa e os planos de atividades desenvolvidas em seu âmbito, diligenciando pela obtenção de recursos e gerindo-os;
  • Propor ao Conselho Departamental a criação ou extinção de disciplinas;
  • Aprovar, por proposta do Chefe do Departamento, a distribuição da carga horária dos professores pelas atividades de ensino, pesquisa, extensão e administração.
  • Propor a fixação a alteração da carga horária de docência e de pesquisa;
  • Colaborar, com a Unidade a que pertença, na elaboração da respectiva estrutura organizacional e em sua administração;
  • Avaliar o desempenho dos integrantes do Departamento, tomando as medidas cabíveis;
  • Indicar a admissão de professores auxiliares em caráter precário, de professores visitantes e a recontratação de professores aposentados;
  • Apreciar os pedidos de reclassificação docente;
  • Indicar os professores a serem incluídos no programa de Capacitação Docente, avaliando-lhes periodicamente o rendimento;
  • Exercer a supervisão da função docente dos professores e das funções dos alunos monitores, bem como realizar a seleção destes;
  • Examinar, em primeira instância, as questões suscitadas pelos corpos docente e discente em matéria de sua competência;
  • Avaliar a proposta orçamentária do Departamento para o exercício seguinte, apresentada pela chefia;
  • Apreciar o relatório anual da Chefia do Departamento;
  • Deliberar sobre isenção e adaptação de disciplinas;
  • Propor o número de vagas, por período letivo, em seus cursos regulares;
  • Oferecer vagas para inscrição em disciplinas isoladas;

Composição atual do Conselho Departamental: 

Diretor: Ricardo Carvalho de Barros
Vice-diretor: Helio Pedro Amaral Souto
Chefe do Departamento de Modelagem Computacional: Sílvia Cristina Dias Pinto
Chefe do Departamento de Engenharia Mecânica e Energia: Rafael Serra Perez
Chefe do Departamento de Materiais: Solange Francisco do Nascimento
Representante dos Técnicos-Administrativos: Hiton Guaraldi da Silva Jr.
Representante Discente: Arthur Moura Pereira da Silva
Representante Discente: Bruno Mesquita Ferreira
Representante Discente: Diogo de Oliveira Mendes